Nome científico:

Quercus suber L.

Nome comum:
Sobreiro
Família:
Fagaceae
Autóctone

 

 

Árvoreperenifólia, com 10-15 m de altura, por vezes, até 20 m, de copa ampla e arredondada, por vezes, irregular, com grande produção de cortiça.

Folhas com 2,5 a 10 cm x 1,2 a 6,5 cm, alternas, simples, oblongas, coriáceas, com margem inteira ou sinuosa, um pouco lustrosas na página superior e cobertas por um feltro acinzentado na página inferior.

Flores muito pequenas, amareladas, em grupos peludos, com interrupções, pendentes na extremidade dos raminhos.

Fruto uma bolota, menos doce do que a da azinheira, com uma cúpula em forma de dedal coberta por escamas de ponta curva.

 

Habitat/Ecologia

Montados e bosques com clima mediterrânico suavizado pela proximidade do mar, menos frequente em solos calcários. Menos resistente à secura do que a azinheira.

 

Período mais favorável à observação

Floração: primavera; maturação dos frutos: outono.

 

Utilizações e Curiosidades

Extração de cortiça, após o que o tronco apresenta uma coloração vermelha escura, muito intensa. As bolotas são usadas para porcos de montanheira. O sobreiro foi instituído pela Assembleia da República como Árvore Nacional de Portugal, em 22 de Dezembro de 2011.

 

Estatuto de Proteção

Legislação nacional: Protegida pelo Decreto-Lei n.º 169/2001 de 25 de Maio