Herdade da Mitra

A Herdade da Mitra, com uma área de cerca de 290 ha, onde atualmente funciona o Pólo da Mitra da Universidade de Évora, tem uma longa história que se encontra intimamente ligada à história de Portugal e da cidade de Évora, assim como à do ensino agrícola no nosso País. Esta herdade teve origem na Quinta do Paço de Valverde, criada pela diocese – ou mitra – de Évora no início do século XVI, para retiro e descanso dos seus cardeais e arcebispos. No espaço da quinta foi construído o Paço Episcopal, de que ainda restam alguns edifícios originais e parte da fonte no atual Páteo Matos Rosa, que já seria habitado em 1514. Cerca de 30 anos mais tarde o Cardeal-Rei D. Henrique (fundador da Universidade de Évora em 1559) mandou construir o Convento do Bom Jesus de Valverde para acolher um pequeno grupo de monges da Ordem Capucha. A capela e o claustro do Convento do Bom Jesus de Valverde foram classificados como Imóveis de Interesse Público pelo Decreto n.º 44452 do Diário do Governo n.º 152 de 5 de julho de 1962. A Portaria n.º 79/2010, DR, 2.ª série, n.º 17, de 26-01-2010, alargou a classificação à Quinta do Paço de Valverde, mata, várias pequenas capelas, Jardim de Jericó e lago, aqueduto, edificado no século XVII, todo o sistema hídrico, casa da água, jardim de buxo, horta e todos os muros e muretes que dividem e estruturam o sítio, enquanto parte integrante do convento, capela e claustro. Após a extinção das ordens religiosas, em 1834, as instalações da Quinta do Paço de Valverde e do Convento do Bom Jesus de Valverde passaram para a posse do Estado e tiveram as mais diversas utilizações. Em 1921 foi criada na herdade a Escola Prática de Agricultura de Évora, que viria a ser integrada na Escola de Regentes Agrícolas de Évora em 1931 e no Instituto Universitário de Évora, depois Universidade de Évora, em 1973.

Atualmente, a Herdade Experimental da Mitra, em conjunto com o Colégio da Mitra e o Colégio do Bom Jesus de Valverde, integra o Polo da Mitra da Universidade de Évora. Deste faz parte um conjunto de edifícios que incluem laboratórios e instalações do ICAAM (Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas), outros laboratórios, salas de aula, gabinetes e diversas infraestruturas de apoio, para além de habitações destinadas a professores e investigadores visitantes. A superfície agrícola utilizada é maioritariamente ocupada por montados de sobro e azinho, matos e pastagens, incluindo também parcelas de olival, pinhal e vinha, para além da horta e do pomar. Aos habitats associados a estas áreas junta-se a zona circundante à ribeira de Valverde, correspondente à antiga coutada, que reúne uma considerável riqueza florística e faunística. A Herdade da Mitra constitui pois um laboratório vivo de inestimável valor para as atividades científicas e para os ensinos da Universidade de Évora.

 

Bibliografia

Matos Rosa A. (1965). Pequena História da Herdade da Mitra, Ed. Lavoura Portuguesa, Lisboa.

 

Patrocínio MFS. (2006). A História do Passal e Convento da Mitra. REVUÉ - Revista da Universidade de Évora 5, Évora.

 

Marques Pereira S (2006) Era uma vez na Mitra…Breve História da Escola de Regentes Agrícolas de Évora (1860-1974). REVUÉ - Revista da Universidade de Évora 5, Évora.